Cinema: "A Bela e a Fera"

Quando eu era criança, assistia ao desenho A Bela e a Fera todos os dias e, agora, quero fazer o mesmo com o filme. A minha ansiedade era tão grande que comprei os ingressos no dia 26/02 e mal pude acreditar quando a estreia finalmente chegou. No momento, esta que vos escreve ainda tem um sorriso no rosto só de lembrar de algumas cenas e, mais, esse sorriso permaneceu firme e forte durante o filme todo, com exceção das partes em que chorei.


A história é igual a do desenho, mas tem alguns acréscimos (maravilhosos). Bela mora numa vila no interior da França com o pai, Maurice, e se sente deslocada, pois todos os moradores a acham diferente por gostar de livros, inventar coisas e ensinar meninas a ler. Quando o pai se perde no caminho para o mercado, encontra um antigo e mágico castelo e é feito prisioneiro de uma Fera horrenda, a jovem parte em sua busca e troca de lugar com ele.

Essa Fera é, na verdade, um príncipe amaldiçoado por uma bruxa, devido ao seu temperamento e egoísmo. Ele e seus criados - transformados em objetos falantes - foram condenados a viver esquecidos e, caso ninguém aprendesse a amá-lo até a última pétala da rosa mágica cair, o príncipe seria um monstro para sempre e os moradores do castelo se tornariam velharias. 

Após um desentendimento com a Fera, Bela vai embora, mas, quando lobos a atacam na floresta e ele a salva, se machucando no processo, ela decide aju- dá-lo e retorna ao castelo. A partir daí, eles começam a se conhecer melhor e se tornam amigos. 

(Leiam na voz do narrador) Contudo, quem seria capaz de amar um monstro?


O filme mostra todas as cenas e músicas clássicas do desenho, o que o torna nostálgico e fiel à história. Isso já seria suficiente para satisfazer os fãs, mas, felizmente, ele vai muito além. O enredo de A Bela e a Fera desenvolveu bem mais os personagens principais e o seu relacionamento, contando detalhes do passado de ambos, mostrando seus gostos literários, suas personalidades etc; ou seja, todos os momentos fofos e de aproximação foram aprofundados. Em outras palavras, a Bela, que já era forte, determinada, inteligente e corajosa, se tornou ainda mais generosa e influente; enquanto a Fera, que tinha um bom coração, é incrivelmente divertida, inteligente e gentil nessa versão - ele tem até um solo no filme, que é muito bom, por sinal. Além disso, os dois tiveram muita química.

Os demais personagens também foram aperfeiçoados: Maurice é mais atento, ativo e presente; Gaston está menos bobão e mais cruel; LeFou tem mais personalidade e se incomoda com as atitudes de Gaston; já os moradores do castelo têm ainda mais destaque e continuam carismáticos e engraçados.

Gostei bastante das modificações, pois deixaram a história mais apaixonante e completa, além de darem a oportunidade de entender e conhecer melhor os personagens. Quanto à atuação, o elenco estava formidável. Emma Watson é a cara da Bela e deu um toque feminista à personagem; Dan Stevens deixou a Fera mais humana e engraçada (os efeitos especiais foram tão perfeitos que era possível ver nitidamente sua expressão no rosto dela); Luke Evans deu a Gaston aquele ar pomposo na medida certa e soube ser bem cruel e pedante; e Josh Gad fez um LeFou diferente e seu final foi ótimo. 

Com atores de peso, como Ian McKellen, Emma Thompson, Ewan McGregor e Kevin Kline, foi fácil se encantar (novamente) por cada personagem - a bruxa também merece destaque. Sou um pouco suspeita para opinar, pois sou fã de quase todos os atores que participaram do filme, mas, podem acreditar, eles conseguiram dar vida aos personagens do desenho. Quanto às músicas, as novas complementaram de forma harmônica a história, e as antigas ficaram mais lentas/pausadas do que as originais, mas isso não foi problema.

Eu poderia continuar escrevendo por horas sobre A Bela e a Fera, mas, para resumir, o filme é fiel e autêntico ao mesmo tempo, com uma história rica em detalhes, um cenário idílico, uma linda trilha sonora, esfeitos especiais de tirar o fôlego, ótimos diálogos, cenas engraçadas, temas importantes - como homossexualidade, alienação, ignorância, preconceito e representatividade - e excelente caracterização. 

  • Título original: Beauty and the Beast.
  • Direção: Bill Condon.
  • Elenco: Emma Watson, Dan Stevens, Luke Evans, Josh Gad, Kevin Kline, Ewan McGregor, Ian McKellen, Emma Thompson, Stanley Tucci, Audra McDonald, Gugu Mbatha-Raw, Nathan Mack, Hattie Morahan, Adrian Schiller.
  • Roteiro: Stephen Chbosky e Evan Spiliotopoulos.
  • Trilha sonora: Alan Menken, Howard Ashman e Tim Rice.
  • Recomendo! ❤
Leia Mais

Top comentarista: março 2017

Hey, leitores!

Vamos ao primeiro top comentarista de 2017! Como sempre, são três kits e a pessoa sorteada poderá escolher um deles.


Kit 1: A casa de André Vianco + marcador, botton e card de Harry Potter Ilustrado.
Kit 2: Uma semana para se perder (Série Spindle Cove #2) de Tessa Dare + marcador, botton e card de Harry Potter Ilustrado.
Kit 3: A pousada Rose Harbor de Debbie Macomber + marcador, botton e card de Harry Potter Ilustrado.

Regras:
  • Comentar em todas as postagens de março.
  • Ter endereço de entrega no Brasil.
  • Preencher o formulário abaixo.
Avisos:
  • O resultado será divulgado neste mesmo post no dia 9 de abril.
  • Se o leitor sorteado não seguir as regras acima, outro sorteio será realizado.
  • O ganhador terá até 72 horas para responder ao e-mail.
  • O prêmio será enviado em até 50 dias.
E que comecem os jogos... Ops, comentários!

a Rafflecopter giveaway
Leia Mais

Resenha de "Um martíni com o diabo"

Um martíni com o diabo, novo livro de Cláudia Lemes, é tão intenso quanto Eu Vejo Kateveio para agradar aos fãs de uma boa trama e do estilo noir.
"Lembrou-se do porquê, tão frequentemente esquecido nos últimos anos, de ter se metido naquela família, naquele negócio inescrupuloso, com aquelas pessoas. Você se traiu no caminho, garoto, isso é fato. Esqueceu seu objetivo, sua vingança, seu ódio. Agora não adianta querer fugir das consequências."
Chicago, 1983
Aos 18 anos, Charlie Walsh ouve uma revelação macabra sobre o passado da mãe e enfim descobre a identidade do pai. Chocado com a violência do relato e movido pela vingança, ele se muda para Las Vegas, apesar da resistência da mãe, e promete que Tony Conicci irá pagar pelo o que fez.

O problema é que seu pai é simplesmente um dos chefes da máfia italiana, ou seja, infiltrar-se no restrito grupo da família Conicci não será fácil. Contudo, após planejar uma situação na qual sairia como herói, ele é apresentado a Tony e seus fiéis parceiros e, a partir daí, torna-se um amigo deles (alguém conectado à máfia, mas que ainda não faz parte dela).

Ao longo dos anos, aprendendo as regras e os negócios da família, Charlie se torna um membro da máfia e se envolve mais do que deveria nesse mundo. Ele é atraído pelo crime, pela droga (mesmo sabendo que é contra as regras), pelo dinheiro e o poder; e se esquece do real motivo para ir a Las Vegas.

Enquanto lida com o FBI, se apaixona por uma acompanhante e depois pela esposa de seu pai, volta da prisão e tenta se livrar dos vícios, Charlie precisa voltar a si para cumprir sua promessa e matar o pai, mas, depois de tantos anos, parece que sua lealdade e seus princípios foram abalados.
"Disse a si mesmo que tudo o que estava acontecendo era parte de seu plano. Disse a si mesmo, mais uma vez, que ele estava no controle. Sentia-se feliz e não sabia por quê."
Cláudia Lemes tem o dom de nos envolver em histórias impactantes e, neste livro, ela mantém seu estilo cru, minucioso e intenso; em outras palavras, tem muita violência e sexo, com detalhes. A história é narrada em terceira pessoa e se passa no decorrer de 14 anos, mas, apesar de ter gostado de como a narrativa foi conduzida, pois propiciou um melhor desenvolvimento dos personagens, ela ficou um pouco arrastada em alguns momentos, o que me fez demorar para terminar a leitura.

Charlie é um personagem controverso, ora era alguém por quem valia a pena torcer, ora (na maioria das vezes) era um fraco que se deixou corromper. Por isso, não consegui sentir simpatia por ele - aliás, os únicos personagens que me agradaram foram Viking e Loreen. Porém, ainda assim, todos eles foram bem construídos e deixaram a história mais crível, especialmente porque a autora criou uma trama tão arramada, palpável, inquietante e com cara de O Poderoso Chefão que foi impossível não achá-la boa.

O final me surpreendeu e gostei bastante do desfecho de cada personagem, mesmo que alguns deles tenham me deixado irritada. Como mencionei antes, o mundo exposto pela autora é rico em detalhes e fica bem claro o quanto ela pesquisou para desenvolvê-lo (tem até dois capítulos sobre a linguagem e a história do livro, que fazia parte da Trilogia Woodsons e foi adaptada).

Mesmo sendo fã de romances policiais, como já escrevi em outras resenhas, costumo evitar livros com temas muito pesados, mas, assim como Eu Vejo Kate, este livro foi uma boa experiência por ter sido bem escrito e sobre um tema que conhecia pouco. Além disso, a editora fez um bom trabalho com a capa e a revisão.
*Exemplar para resenha.
Leia Mais

5 anos de Artesã Literária!

Hey, leitores!

Nestes 5 anos de Artesã Literária, eu conheci pessoas incríveis, fiz parcerias maravilhosas, fui a eventos literários e vi Ian McEwan de pertinho (foi lindo). Sou muito grata a todos que fizeram parte do blog, participando, comentando e lendo as postagens, apoiando e tudo o mais. Vocês são demais! 

O blog não está muito ativo por vários motivos, mas, por ser um hobby muito querido, sempre que possível terá postagem nova.


Alguns dados:
  • 396 postagens.
  • 6358 comentários.
  • 1.334 leitores no GFC, 1.860 seguidores no Twitter e 2.179 curtidas no Facebook.
  • 132 resenhas.
  • 4 colunistas já passaram por aqui.
Lembrando que tem promoção de aniversário no ar! Participem também: são seis livros, marcadores e bottons. 

Muito obrigada mais uma vez,
Beijocas. ❤
Leia Mais

Promoção de aniversário - 5 anos

Hey, leitores!

Hoje o Artesã Literária completa 5 anos e, para comemorar, serão sorteados 6 livros com marcadores e bottons.


Os prêmios:
O livro de colorir do Harry Potter (Universo dos Livros);
Eu vejo Kate: o despertar de um serial killer (Cláudia Lemes - Empíreo); 
Um martíni com o diabo (Cláudia Lemes - Empíreo);
Daisy está na cidade (Rachel Gibson - Jardim dos Livros);
Uma noite para se entregar, série Spindle Cove #1 (Tessa Dare - Gutenberg);
Os portões do inferno, Lendas de Baldúria #1 (André Gordirro - Rocco).

Vocês podem participar de todos os sorteios ou apenas escolher os livros que desejam. Em outras palavras, pode acontecer de uma pessoa ganhar mais de um sorteio. Lembrem-se de tomar um gole de felix felicis, rs!

Regras:
Avisos:
  • A promoção é válida até o dia 28 de fevereiro.
  • Os resultados serão divulgados neste mesmo post e nas redes sociais do blog no dia 2 de março.
  • Os prêmios serão enviados em até 50 dias.
  • Para saber mais, leiam a política de promoções.
  • Os livros da Cláudia Lemes serão sorteados juntos (um deles está autografado).
Boa sorte a todos!

SORTEIO: Livro de colorir do Harry Potter.

a Rafflecopter giveaway 
SORTEIO: Eu vejo Kate e Um martíni com o diabo.

a Rafflecopter giveaway 
SORTEIO: Daisy está na cidade.

a Rafflecopter giveaway  
SORTEIO: Uma noite para se entregar.

a Rafflecopter giveaway  
SORTEIO: Os portões do inferno.

a Rafflecopter giveaway
Leia Mais

Lançamento: "Sobreviventes do Caos" de Bianca Gulim

Hey, leitores!

Hoje eu lhes apresento o livro de estreia da Bianca Gulim, nova parceira do Artesã Literária: Sobreviventes do Caos. É o primeiro volume da trilogia 2323 e será lançado no dia 23 de dezembro pela editora Epifania Livros. 


Como sou fã do gênero distopia, estou curiosa para lê-lo e gostei bastante da premissa, que é bem instigante. Confiram a sinopse:
"Em um mundo distópico, no ano 2323, após ser quase dizimada por um vírus mortal e pela guerra, a raça humana tenta se reestruturar. Com poucos recursos disponíveis, a humanidade encontra-se dividida em grupos que vivem de acordo com regras impostas por seus líderes. Celine cresceu nesse ambiente hostil e se tornou líder dos guerreiros de seu povo após a morte de seus pais. Seu grupo se envolve em diversos conflitos e a jovem precisa tomar as decisões que julga corretas para garantir a sobrevivência de seu povo, enquanto se envolve num forte romance, do qual tenta se manter afastada. Aos poucos, ela descobre mais sobre as pessoas que a cercam e percebe que, quando se trata de lutar pela própria vida, poucos são previsíveis. Só os mais fortes sobrevivem, e os mais fortes normalmente são os mais cruéis. Nesse ambiente, o mais difícil é saber quem realmente está ao seu lado e quem é um traidor. Será Celine capaz de manter sua benevolência frente à tanta violência que a rodeia? Seu coração terá espaço para a paixão, cercado de tanto ódio? Prepara-se para muita adrenalina e romance nesse primeiro livro da trilogia 2323. Você vai perder o fôlego!
Sobre a autora:
Bianca Gulim tem 26 anos, nasceu e mora em São Paulo. Formada em Administração, com especialização em Recursos Humanos, hoje se dedica totalmente à escrita e ao empreendedorismo. É cofundadora da Epifania Livros, que busca democratizar o acesso e a produção de literatura e oferecer remuneração justa aos escritores. Sempre leitora voraz de ficção e fantasia, com uma forte tendência a sagas distópicas e vampirescas. Começou a escrever seu primeiro livro - 2323: Sobreviventes do Caos - em 2015, quando descobriu sua vocação para escritora. Já está produzindo o segundo livro da série 2323 e não pretende para tão cedo.
A autora está publicando o livro aos poucos no Wattpad, sintam-se à vontade para acompanhar, basta acessar este link.

Beijocas.
Leia Mais

Falando Nisso: sobre um clube de leitura e Paris

Hey, leitores!

A primeira semana de dezembro trouxe duas novidades maravilhosas que me deixaram muito feliz. A primeira delas é que a Editora Rocco irá lançar em janeiro o livro O clube de leitura de Jane Austen; e a segunda é o lançamento de Je T'aime, Paris, escrito pela Teca Machado, blogueira super querida.

 

Para quem não sabe, O clube de leitura de Jane Austen foi adaptado para os cinemas em 2007 e, apesar de não ser o melhor filme do mundo, desde que o assisti, fiquei curiosa para ler o livro. Confiram a sinopse:
Cinco mulheres e um homem se reúnem para debater as obras de Jane Austen na Califórnia do início dos anos 2000 e, ao longo dos seis meses em que o eclético grupo se encontra para ler e discutir os romances, casamentos são testados, novos romances vêm à tona, arranjos sociais e afetivos se fazem e desfazem, e os personagens acabam se dando conta de que suas vivências não são assim tão diferentes das experimentadas por Emma ou outras de suas protagonistas. E aprendendo com elas.
Além de falar sobre os seis romances de Jane Austen, a história ainda discute questões bem interessantes. Mesmo que eu só tenha assistido ao filme e lido alguns trechos do livro em inglês, recomendo a leitura, pois será uma ótima maneira de começar 2017: com muito amor e Jane linda Austen.

Depois de I Love NY, um chick lit super divertido, Teca nos presenteia com Je T'aime, Paris, que, apesar de não ser continuação do seu primeiro romance, está interligado com sua história. Ambos os livros serão um prato cheio para os leitores que gostam do gênero, pois, além de escrever bem, a autora une os elementos certeiros do chick lit. Leiam a sinopse:
Com o pai milionário encrencado com a justiça brasileira e boa parte de seus bens bloqueados, Ana Helena precisa aprender a viver com pouco dinheiro. Para ficar fora dos holofotes da imprensa, seu pai a manda para fora do país. O destino? Paris. Peraí! Mas como viver sem dinheiro em Paris? Não tem jeito! Arles, pacata cidade do interior da França, acaba sendo a alternativa mais modesta. Mas a tranquilidade dessa charmosa cidade logo dá lugar a um turbilhão de acontecimentos envolvendo um novo amor, obras de arte, muito dinheiro e homens tão ambiciosos que farão de tudo para colocar as mãos no que desejam. A grande aventura leva Ana Helena de volta a Paris, com perseguições pelas ruas da Cidade Luz, romance, muita ação, dramas e reviravoltas surpreendentes. O que você faria para salvar um grande amor e alguns milhões de Euros?
Resumindo, eis dois livros super bacanas para terminar 2016 e iniciar 2017 muito bem acompanhado. Ademais, tanto a editora quanto a Teca arrasaram na escolha de capas, as duas são lindas. 

Se quiserem, marquem os livros no Skoob:
Beijocas.
Leia Mais
© 2012 - Todos os Direitos Reservados
Design por: Gabrielle Alves | Para uso exclusivo do blog Artesã Literária