Resenha de "Guerra Mundial Z: Uma história oral da guerra dos zumbis"

Confesso que eu fiquei ligeiramente apreensiva quando vi que a história seria contada por meio de relatos, mas esta impressão se dissipou por completo assim que eu li as primeiras páginas. A maneira como Brooks escreveu e organizou a história tornou tudo mais real, palpável e aterrorizante.
"Comecei a distinguir uma forma, grande, humanoide, arrastando-se de barriga. [...] Enquanto a coisa se movia para a luz, finalmente vi seu rosto, perfeitamente intacto, perfeitamente humano, a não ser pelo olho vermelho que pendia pela haste. O olho esquerdo estava fixo no meu e seu gemido virou um raspar sufocado." Kondo Tatsumi - Kyoto, Japão.
A cerca de uma década atrás, os zumbis quase dizimaram todo o planeta, este período ficou conhecido como "Guerra Mundial Z". Todos que sobreviveram tinham uma história para contar, desde suas experiências até como suas vidas mudaram drasticamente, mas segundo a presidente da Comissão Pós-guerra das Nações Unidas disse: alguns relatos eram excessivos, e sendo assim, tornaram-se descartáveis. Portanto, o pesquisador que organizou os relatos, coletou apenas aqueles que mostravam a força e a agonia de quem sobreviveu, além das experiências marcantes e reveladoras. 

Os testemunhos colhidos causam grande impacto por sua honestidade e detalhismo, alguns emocionam, outros irritam, mas todos, sem exceção, mostram até que ponto as pessoas podem ir em momentos de total desespero. Dentre tantas informações, Uma história oral da guerra dos zumbis nos revelará onde ocorreu a primeira infestação e quem foi o "paciente zero", mostrará as falhas cometidas pelos governos ao redor do mundo, como algumas pessoas se aproveitaram da situação para lucrar e como elas tiveram de se adaptar a sua nova realidade.
"Ouvi dizer que o Holocausto não teve sobreviventes, que mesmo os que conseguiram continuar tecnicamente vivos sofreram danos tão irreparáveis que seu espírito, sua alma, a pessoa que deviam ser, tinha morrido para sempre. Prefiro pensar que não é verdade. Mas, se for, então ninguém na Terra sobreviveu a esta guerra." Jurgen - Tel Aviv, Israel
São cerca de 58 relatos divididos em 8 capítulos, mais a introdução feita pelo organizador (sem nome). Cada testemunho inicia-se com o nome do local e uma breve identificação do sobrevivente; vale ressaltar que o organizador interfere raras vezes, ora com alguma pergunta ou um comentário, ora para nos informar sobre gestos que a pessoa fez durante o testemunho.

O autor criou personagens bem variados, de personalidades, idades e profissões bem distintas, por isso, a linguagem muda de acordo com a pessoa que está narrando - às vezes simples e objetiva, outras contendo vocabulário militar, e assim por diante. Percebe-se que Brooks pesquisou bastante para escrever o livro, já que os relatos vieram de vários lugares do mundo - o bacana é que podemos saber um pouco mais sobre cada cultura e o modo como eles viviam ou passaram a viver durante e depois da guerra.

Cada capítulo foca um momento diferente: do "paciente zero" até os últimos zumbis que ainda estão sendo aniquilados; os primeiros relatos são relativamente parados e com poucas informações, pois tudo era novidade e a população ainda não sabia a respeito dos zumbis, só após alguns países declararem situação de emergência que o mundo percebeu o que estava acontecendo e é nesta parte que a história fica mais dinâmica.

O grau de realidade é gigantesco, você consegue sentir o desespero e a imprevisibilidade do momento, Brooks conseguiu captar o pior lado das pessoas, além de descrever maravilhosamente bem os lugares, os sentimentos e a situação em si. Foi de partir o coração e ao mesmo tempo, irritante ver que alguns poucos governos aderiram ao projeto que visava deixar a população como isca para que eles e os militares pudessem fugir; também foi aterrorizante ver os zumbis invadirem as cidades e o mar (neste livro eles podem nadar - socorro!). O cara que criou a falsa vacina contra a infestação e a cena do prédio abarrotado de zumbis também são ótimos exemplos.

Lá pela metade do livro, eu já estava quase arrancando meu cabelo, gente, não é tão difícil acabar com um zumbi... Afinal, é só acertar o cérebro e, puft, já era um morto-vivo. Concordo que foi um trauma (muitas pessoas morreram dormindo ou cometeram suicídio) e o governo não ajudou em nada no começo, mas, enfim, pelo menos depois eles fizeram o óbvio e conseguiram resolver o problema. Felizmente, apenas dois pontos me incomodaram: o primeiro é que não foi revelado o porquê ou como apareceu o primeiro zumbi; e o segundo foram os termos militares, pois me deixaram um pouco perdida.

Este é o tipo de livro em que há muito o que se falar a respeito, mas perderia a surpresa e o horror de descobrir gradualmente qual foi a atitude de cada sobrevivente. Eu ainda não assisti ao filme, pois várias pessoas já me contaram tudo, até mesmo o final (obrigada, viu!), mas acho importante avisar que ao que tudo indica, o livro é bem diferente e não é pelo fato de ser contado por relatos, e, sim, pela história em si.

A diagramação ficou excelente, como se fosse realmente um registro oficial, e a revisão foi muito bem feita. Achei que a capa ficou tão bonita quando a anterior - que era vermelha com a mão de um zumbi saindo do chão. 
Quer ganhar um exemplar de Guerra Mundial Z? Clique aqui e saiba mais.
  • Escrito por Max Brooks.
  • Editora Rocco.
  • Tradução: Ryta Vinagre.
  • 367 páginas.
  • Disponível em todas as livrarias.
  • Recomendo. =)
*Exemplar para resenha.

13 comentários:

  1. Oi Rafa!
    Então...zumbis não são bem a minha praia. rs Eu já havia visto algumas pessoas falando a respeito do livro, mas não tinha me interessado por conta da temática.
    Confesso que não tenho muito interesse ainda, mas o livro parece ser bem legal! Que bom que curtiu a leitura :) Sua resenha ficou nota 10!
    Beijos
    http://www.coisasdemeninasarteiras.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  2. Eu quero ver o filme, despertou muito minha curiosidade sua resenha depois de eu ter lido. Fiquei imaginando aqui algumas cenas, enfim...
    Quem sabe em breve eu leia rs



    Beijinhos.
    Clicando Livros

    ResponderExcluir
  3. Oie rafa
    zumbis, meus amados personagens, e não acredito que ainda não assisti ao filme ,nem li o livro.
    Deve ser uma leitura bastante apreensiva, quero muito esse livro. Bjs

    ResponderExcluir
  4. Assisti ao filme e gostei muito! Me interessei pelo livro lendo sua resenha. Já estou seguindo! Visite meu blog http://versosediversoss.blogspot.com.br/ .

    ResponderExcluir
  5. Oi Rafa, estou super ansioso para ler o livro, primeiro porque amei o filme, depois adoro histórias de zumbis, me interessei muito pela história, achei a capa muito linda. Espero ganhar o livro na promoção...
    Bjs

    ResponderExcluir
  6. Oi Rafa! Eu não li nada de zumbis até hoje, mas este livro parece ser macabro demais. Quer dizer que contaram o final do filme para você, comigo aconteceu o mesmo com O menino do pijama listrado, gente sem noção. Bom domingo.

    Bjos!!
    Cida
    Moonlight Books

    ResponderExcluir
  7. Eu curto muito histórias de zumbi, claro que não foi diferente com esse livro. Não cheguei a lê-lo, mas assisti o filme e gostei MUITO - o que me deixou com muita vontade de ler, já que livro é sempre melhor!

    Gostei de sua resenha! Ainda mais pq você deixou claro que o vc fica desesperado só de ler de tão forte e real que é! (Adoro livros que mexem com o leitor ;D) , simplsmente adorei :D

    ResponderExcluir
  8. Oi (: Não sabia que Guerra Mundial Z era um livro O___o (é, eu sou toda desinformada), fiquei muito animada agora, porque por algum motivo só o filme não me atraiu, mas depois de saber que tem um livro eu fiquei morrendo de vontade de ler, sou louca por qualquer coisa que envolva zumbis, e depois dessa resenha maravilhosa mal posso esperar pra poder ler esse livro, e espero gostar tanto quanto você ((:

    Essa é minha primeira vez no blog, adorei e Já tó seguindo ;)
    Se quiser passar no meu, seguir e comentar também eu vou amar!

    Fallen In Me
    - MilaScarcella

    ResponderExcluir
  9. Hahahaha, que sacanagem, te contaram o final!
    Acho que o filme ficou bem diferente porque teve aquela coisa toda de refilmarem o final por essa e aquela razão e que gastaram bem mais do que o previsto.

    Mas enfim, adorei a resenha! Nossa, eu não tinha lá tanta vontade de ler não, mas agora estou mega curiosa.

    Beijitos

    ResponderExcluir
  10. Gente, eu nem se quer sabia q ele tbm era livro =O Mas tbm, o cinema anda mt fraco, só ta tendo roteiros vindo de livros, parece que esse povo anda sem criatividade pra criar algo do zero apesar de vc dizer q um e outro tem pontos diferentes.

    www.livroscom4patas.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  11. Parece ser bem legal esse livro, repleto de zumbis para todos os lados :D
    Quero ver o filme também ;)
    Beijinhos
    Renata
    Escuta Essa

    ResponderExcluir
  12. Como raramente acontece, foi uma resenha que li por ser o único que não leu.
    Eu nunca li nada do gênero, sou totalmente leigo nesse assunto de ''zumbis'', mas sou flexível á novas ideias... (Sem entrar no ramo da literatura Inglesa, por favor)
    Não sou fã do gênero ''terror''.(Além de um de Stephen King, Carrie.)
    Mas você, mais uma vez, conseguiu me incitar curiosidade! Sua resenha me deixou curioso para abrir o livro, testar a história, me adequar á esse novo gênero...
    Com certeza, participando!!

    (Não preciso nem falar da sua resenha, que foi espetacular, né?)
    Beijos!

    ResponderExcluir
  13. Ando ansiosa pra ler esse livro, pra saber se ele consegue ser melhor que o filme. Não nego que gostei do que li na resenha, mais quero ler e fazer uma comparação com o filme. Adorei.

    ResponderExcluir

Hey you,
gostou do que leu, encontrou algum erro ou quer acrescentar algo?
Não deixe de comentar! =)
Sua opinião é muito importante para o blog.
Beijocas.

© 2012 - Todos os Direitos Reservados
Design por: Gabrielle Alves | Para uso exclusivo do blog Artesã Literária