Resenha de "Uma Escolha Imperfeita"

Se eu pudesse resumir em apenas uma frase este livro, seria: uma avalanche de sentimentos e reações. 

Uma Escolha Imperfeita me deixou levemente transtornada e, por vezes, indignada. Porém, feliz por ter lido um romance tão inteligente e sutil. 
"Na extremidade oposta do salão, paramos. Olhei para trás, para a porta que levava novamente para fora, o ar branco emoldurado como um quadro. Quantas vezes na vida chegamos a sentir atração instantânea por alguém que acabamos de encontrar, os olhos fixos um no outro, a súbita e esmagadora convicção de que este é alguém que estamos destinados a conhecer? Três, quatro vezes, talvez? Para muita gente, isso só acontece ao subir a escada rolante de uma estação ferroviária ou em uma loja de departamentos, enquanto a outra pessoa desce a escada rolante do outro lado. Algumas pessoas nunca chegam a ter essa experiência. / Eu me virei para você, e você olhou novamente para mim. Foi tudo."
Yvonne Carmichael é uma bem-sucedida geneticista de 52 anos, que estudou e batalhou muito para conquistar sua atual carreira e status, casada há anos com Guy, um renomado cientista e pesquisador chefe, mãe do problemático Adam e da adorável Carrie, além de ter amigos queridos e presentes. Em suma, ela tinha uma vida boa e estável.

Além de trabalhar no Instituto Beaufort, ela também participava, esporadicamente, do Comitê Permanente em Ciência, na Câmera dos Lordes, e foi em uma dessas reuniões que ela conheceu X - um homem demasiadamente sedutor e misterioso. Desde o primeiro encontro às pressas no Palácio de Westminster que ela se viu atraída por ele e vice-versa, porém, foi apenas depois de um reencontro inesperado que eles começaram um ardente e impulsivo caso. 

Durante muitos meses, na medida do possível, Yvonne soube esconder e lidar com essa nova realidade, ou seja, de que agora ela é e tem um amante. Todavia, entre um e outro encontro furtivo, algo acontece. Algo demasiadamente grande, perturbador, violento, inesperado e... sem volta. Um acontecimento que não apenas iria alterar sua vida profissional e pessoal, como também à ela mesma. 

Yvonne poderia pensar que estava apenas no lugar errado, na hora errada e com a pessoa errada, mas vai muito além disso, pois o trauma e o pânico estarão com ela para sempre. No fim, há um emaranhado de decisões que a fizeram chegar lá e agora, ela terá de lidar com as terríveis consequências de suas escolhas (imperfeitas).
"Por mais alguns dias, tenho a ilusão de que tenho agido certo e agir certo significa que estou melhorando. Sou benevolente comigo mesma. [...] Sou gentil com Guy. Tento pensar o máximo possível em Guy. Faço passeios no parque. Digo a mim mesma que o pior já passou. Já é hora de deixar tudo isso para trás."
A história é narrada pela própria Yvonne e foi dividida em três partes (X e Y; A, T,G e C; DNA), além do prólogo. Gostei bastante dos títulos, pois eles têm uma ligação direta com os personagens principais da narrativa. E falando em narrativa, esta é deliciosamente seduzente e persuasiva, podendo causar desconforto e perplexidade em inúmeras passagens. 

Fico feliz em dizer que meu sexto sentido literário não se enganou e, no fim, voilà, tive o final que tanto esperei, mas que, ainda assim, conseguiu me surpreender. Cabe ressaltar que foi justamente a narrativa em si que me deixou boquiaberta e maravilhada, afinal, a autora trouxe à tona elementos que eu não via há muito tempo em literatura contemporânea.

Se por um lado, em meados da parte dois, eu quis proteger e fazer algo por Yvonne, pois fiquei inconformada e igualmente enojada com o que houve - especialmente por saber que acontece diariamente com várias pessoas. Por outro lado, no restante da narrativa, eu tive raiva da passividade de Yvonne, apesar de ser bem compreensível, e das escolhas que ela fez. Sim, eu pude entender seus motivos e suas ações, afinal, ela ficou abalada e traumatizada - perdeu sua identidade -, mas as consequências disso tudo quase (?) acabaram com a sua vida e de todos ao seu redor. 

Entretanto, cabe mencionar que Yvonne sempre foi determinada e trabalhou duro e continuamente por sua carreira. Ela se sacrificou para concluir seu doutorado com dois filhos pequenos para criar, enquanto seu marido estava curtindo o emprego dos sonhos e não a ajudava em absolutamente nada - perdeu vários pontos comigo, Guy! Ademais, ela sempre foi uma ótima mãe.

Em Uma Escolha Imperfeita, o foco está na forma como se conta uma história e no desenvolvimento psicológico da narradora-personagem, ou seja, a Yvonne. Apesar disto, há bastante espaço para os demais personagens, como: a família e a melhor amiga de Yvonne, assim como para X (seu amante) e seus colegas de trabalho. Todos eles foram desenvolvidos de maneira detalhista e o leitor vai descobrindo quem é quem junto com a narradora - porém, não tanto quanto eu gostaria, pois duas ou três informações ainda são uma incógnita.

A resenha ficou um pouco misteriosa, mas acredite, foi melhor assim. Tomei cuidado com as informações que iria contar, pois o incrível deste romance é você, leitor, desvendar e deduzir sozinho tudo o que houve. Minha dica é que desfrute cada um dos sentimentos que Uma Escolha Imperfeita pode lhe proporcionar, mas um aviso, apesar de ser muito bem feito, o desfecho foi um soco no estômago. Não é uma história leve e simples, ela é densa e complexa. Se você não gosta de tramas pesadas e violentas, é melhor nem se aventurar... Mas se gosta, será um prato cheio, você não se arrependerá.

Apesar da densidade e das 447 páginas, consegui manter um bom ritmo de leitura, então fluiu tranquilamente. Adorei a capa, pois faz referência à um dos clímax da narrativa, e gostei do título em português - mesmo que tenha sido bem diferente do original: Apple Tree Yard, que tem ligação com a capa do livro. A revisão foi muito bem feita e a diagramação é normal. Enfim... Ficou curioso (a) e quer saber o que houve com a Yvonne? Basta participar do sorteio (aqui).
  • Escrito por Louise Doughty.
  • Editora Rocco.
  • Tradução: Geni Hirata.
  • 447 páginas.
  • Disponível em todas as livrarias.
  • Recomendo! :)
*Exemplar para resenha.

13 comentários:

  1. Oi, Rafa,
    Eu não conhecia esse livro! Pela capa, até pensei que fosse uma história mais antiga, publicada há um bom tempo. Gostei bastante da sua resenha :)
    Beijos
    Iris
    literalmentefalando.com.br

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Tive a mesma impressão com a capa Iris!!
      E adorei a resenha Rafa =) Beijos!!
      Elis Culceag. * Arquivo Passional *

      Excluir
  2. Oi Rafa.
    Essa capa me chamou muito a atenção e depois de ler a resenha, me interessei mais ainda. Não conhecia esse livro!
    Beijos

    ResponderExcluir
  3. Como a história me pareceu ter um tom misterioso, fiquei curiosa, ainda mais por você ter falado tão bem dele,

    ResponderExcluir
  4. Escritura muito bem redigida. Fiquei interessado em ler, é intrigante.

    ResponderExcluir
  5. Oie Rafa
    Não conhecia o livro, mas histórias de traição sempre rendem muito pano pra manga.
    E especialmente com esse livro fiquei aqui baita curiosa com todo esse mistério que te deixou transtornada.
    bjos
    www.mybooklit.com

    ResponderExcluir
  6. Oiee, tudo bem?

    Ah, mas eu gosto de resenhas misteriosas porque elas só me deixam com mais vontade de ler o livro. Não conhecia esse livro, mas ele tem todos os elementos que eu curto. Espero que eu goste da leitura

    beijos
    Kel
    www.porumaboaleitura.com.br

    ResponderExcluir
  7. Parece ser um livro bem interessante..... sua resenha me deixou bastante curiosa, quero saber o que irá acontecer com Yvonne,...

    ResponderExcluir
  8. A história é bem estimulante e eletrizante. Gosto de romances cheios de mistérios. E este me parece ser bem o estilo. Fiquei curiosa com o que aconteceu e vou tentar ler pra ver se descubro.
    Beijos.

    ResponderExcluir
  9. Gosto muito de livros que nos dão sentimentos, mesmo que contrários.
    Acho que é assim que livros devem ser.
    Gostei dessa resenha. Não conhecia o livro ainda.
    E bom saber que mesmo grosso você manteve um ritmo de leitura legal.

    Beijoooos

    www.casosacasoselivros.com

    ResponderExcluir
  10. Eu adoro livros assim...Tramas fortes e que nos prendem do início ao final...Yvonne me pareceu uma personagem cativante, mesmo ela tendo arrumado um amante, casada à muito tempo, isso eu não curto muito, mas como voce disse que a leitura é empolgante e a autora soube construir bem a história, com certeza quero ler o mais breve possível! Parabéns pela resenha, mesmo voce não nos mostrando muito sobre o livro, mostrou o suficiente pra me empolgar!

    ResponderExcluir
  11. Não gosto muito de tramas fortes, porque eu me envolvo demais na leitura, sentindo e demonstrando os sentimentos que surgem. Até discuto sozinha com o livro e converso com os personagens (e assusto as pessoas ao redor).
    Pela resenha deu pra sentir que tem muito além de uma simples traição nessa história. Porque foi dito que a protagonista fica traumatizada e perde a identidade...
    Enfim, gostei do enredo e da capa.

    ResponderExcluir
  12. achei o livro "uma escolha imperfeita" beem misterioso. fiquei curiosa p/ le-lo.

    ResponderExcluir

Hey you,
gostou do que leu, encontrou algum erro ou quer acrescentar algo?
Não deixe de comentar! =)
Sua opinião é muito importante para o blog.
Beijocas.

© 2012 - Todos os Direitos Reservados
Design por: Gabrielle Alves | Para uso exclusivo do blog Artesã Literária