Resenha de "Uma Rua de Roma"

O francês Patrick Modiano já escreveu 40 livros e foi o ganhador do Prêmio Nobel de Literatura de 2014. Em dezembro, a editora Rocco relançou três dos mais marcantes livros do escritor, dentre eles, Uma Rua de Roma (1978).
"Uma impressão me atravessou, como esses fugazes farrapos de sonho que a gente tenta pegar, ao despertar, para reconstituir o sonho inteiro. Eu me via caminhando numa Paris obscura e empurrando a porta deste prédio da rua Cambacérès. Então, meus olhos ficavam bruscamente ofuscados, e por alguns segundos eu não via mais nada, tal era o contraste entre esta luminosidade branca e a noite lá fora. Em que época ocorrera isso?"
O ano é 1965, Paris. Guy Roland despede-se de seu chefe e amigo Hutte, ambos detetives particulares. É um momento marcante; afinal, após a ida de Hutte para Nice, Guy, que sofre de amnésia há mais de dez anos, decide ir em busca de seu passado para preencher as lacunas que tanto lhe faltam.

Utilizando sua experiência como detetive, Guy seguirá pistas sutis sobre seu passado e encontrará, gradualmente, pessoas que fizeram parte de sua antiga vida, direta ou indiretamente. Conforme adentra o mundo de seu antigo eu, outras questões ainda o incomodam - o seu nome verdadeiro, por exemplo - e sempre parece que algo lhe escapa. 

Viagens pelo interior da França, Bora-Bora e Roma, fotografias, cartas, casas decrépitas, bares enfumaçados, ruas mal-iluminadas e entrevistas fazem parte de sua rotina em busca de sua identidade. Todavia, ao mesmo tempo em que muitas pistas se mostram reais e algumas memórias retornam com força total, "Guy Roland" percebe que está em um quebra-cabeça difícil de se montar e que certas peças exigem paciência para serem encontradas.

Sob a perspectiva de "Guy Roland", acompanhamos sua trajetória rumo ao passado perdido - devido a uma amnésia total que ocorreu após um trauma durante a Segunda Guerra Mundial. Porém, cabe mencionar que dois ou três capítulos são narrados sob outras perspectivas, sendo de personagens que conheciam o detetive antes da amnésia.

Da mesma forma que a mente do protagonista é cercada por uma névoa que não lhe permite ver com clareza ou reencontrar suas memórias; tanto o ambiente quanto o tom da história também são encobertos por uma névoa. Nota-se isso através da iluminação precária, da fumaça e do ar noturno. Em outras palavras, a confusão e a mente obscurecida através da perda de memória se refletem nos lugares, em geral, e na própria narrativa de Guy. Aliás, tudo isso é um reflexo da guerra que aconteceu alguns anos antes.

A história em si é um labirinto, na qual o protagonista tenta encontrar uma saída até sua verdadeira identidade. É uma mistura de elementos do romance policial com o drama psicológico, pois vemos não apenas a investigação tomando forma, como também o lado caótico de não saber quem você é ou não lembrar com clareza sobre o próprio passado e pessoas que outrora lhe eram queridas. A cada capítulo, o protagonista tenta se reconstruir através de pistas e das memórias que retornam esporadicamente.

Apesar de ter gostado do livro, eu esperava um pouco mais. Talvez por querer obter mais respostas e certezas. Aliás, não consegui ver muita profundidade nos personagens, mas, de qualquer forma, ficou claro de que não haveria tal profundidade, visto que as lacunas ainda estão lá para serem preenchidas ao longo da história e, no fim, só sabemos o que o próprio protagonista sabe ou descobre.

Mesmo com o alto grau de detalhes e informações sobre as ruas, endereços, telefones, imóveis e pessoas, a leitura flui com naturalidade e a narrativa tem uma linguagem bem simples. O desfecho me surpreendeu, em certa medida, mas é ousado e traz opções ilimitadas, além de ter sido coerente com a narrativa. No fim do livro há um prefácio incrível, escrito por Bernardo Ajzenberg, que tornou-se um complemento imprescindível para a obra, por causa da argumentação exposta. 

A capa é bem simples, mas combina com a história e, por isso, gostei da escolha; além disso, a revisão foi muito bem feita. Se estão curiosos e querem acompanhar os passos de "Guy Roland" em busca de sua identidade e seu passado, participem do sorteio para ganhar um exemplar do livro (aqui).
  • Escrito por Patrick Modiano.
  • Editora Rocco.
  • Tradução: Herbert Daniel e Cláudio Mesquita.
  • 223 páginas.
  • Disponível em todas as livrarias.
  • Recomendo. :)
*Exemplar para resenha.

20 comentários:

  1. Oi Rafa!
    Definitivamente este não é um livro que escolheria p ler! =/
    n curti muito o enredo apesar de gostar de finais surpreendente!
    Bjos!
    Aline Praça
    www.leituravipblog.com

    ResponderExcluir
  2. Oie,
    confesso que não leria este livro, não me chamou atenção nem na capa, sinopse e nem na resenha

    bjos
    http://blog.vanessasueroz.com.br

    ResponderExcluir
  3. Oi, Rafa!
    Não me interessei pelo livro dessa vez. :(
    O autor parece ser bem elogiado, inclusive, adorei sua opinião sobre o livro. Mas acho que a obra não funcionaria comigo.
    Abraço!

    "Palavras ao Vento..."
    www.leandro-de-lira.com

    ResponderExcluir
  4. Não sei se leria esse livro. Apesar de achar ele bem diferente e de gostar de histórias onde os protagonistas tem perdas de memória,não sei se gostaria desse clima sombrio que você descreveu.

    Blog Prefácio

    ResponderExcluir
  5. Oi Rafa! Eu não sei se iria curtir o livro, parece que nem tudo é totalmente esclarecido, livros que me levam por longas buscas, precisam me dar respostas concretas.
    Bjos!! Cida
    Moonlight Books

    ResponderExcluir
  6. Oi Rafa,
    Gosto muito de livros que misturam as características psicológicas das personagens com o enredo e/ou ambientação da trama. O fato de estar tudo coberto por névoa me instigou e eu realmente quero saber como tudo termina. Espero que seja mesmo um final ousado, eu não esperaria menos que isso.

    Beijos,
    Mari Siqueira
    http://loveloversblog.blogspot.com

    ResponderExcluir
  7. Olá!!

    É a primeira resenha que leio desse livro, gosto dessa capa mais simples sabe?
    Eu gosto desse tipo de livro mas fiquei com receio depois do que você falou sobre a falta de informações no final do livro, mas o que eu não curto mesmo é esse monte de detalhes que você citou.
    Gostei da sua resenha!


    Beijinhos,
    www.entrechocolatesemusicas.com

    ResponderExcluir
  8. Olá!!

    É a primeira resenha que leio desse livro, gosto dessa capa mais simples sabe?
    Eu gosto desse tipo de livro mas fiquei com receio depois do que você falou sobre a falta de informações no final do livro, mas o que eu não curto mesmo é esse monte de detalhes que você citou.
    Gostei da sua resenha!


    Beijinhos,
    www.entrechocolatesemusicas.com

    ResponderExcluir
  9. Oi Rafa!
    Acho que "labirinto" é a palavra ideal para descrever esse livro. Assim como você, eu também gostei, mas esperava gostar mais. Embora ache a falta de certezas bastante adequada à história, também fiquei querendo algumas respostas a mais no final da leitura.
    Beijos,
    alemdacontracapa.blogspot.com

    ResponderExcluir
  10. Oi Rafa!
    Essa parece ser uma história super bem estruturada e narrada, porém não faz o meu estilo de leitura. Eu achei a capa desinteressante, mas esse é aquele livro que junta-se a outros dois para formar o nome do autor, não é?
    Beijos... Elis Culceag. * Arquivo Passional *

    ResponderExcluir
  11. Oi, Rafa!
    Quero muito ler esse livro, muita gente falando bem sobre ele.
    Não gosto de descrições exageradas, mas se você diz que a leitura flui mesmo assim, eu acredito.
    :)
    Achei interessante essa premissa de nem ele e nem nós sabermos quem é, de buscar junto do protagonista o seu passado.

    Beijooos

    www.casosacasoselivros.com

    ResponderExcluir
  12. Olá Rafaela,

    Não conhecia o livro e nem o autor acredita? Mas gostei demais do que li na sua resenha, cofesso que a sinopse dele e a capa não me despertaram muito interesse, mas sua resenha me fez colocá-lo na minha lista de desejados, parabéns pela resenha, pelo seu blog e obrigado pela visita no meu blog, já estou seguindo aqui e tem resenha nova lá....abraço.


    devoradordeletras.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  13. Interessante. Um tanto confuso, mas um bom livro.
    Foi isso que entendi na sua resenha, que por sinal está incrível!!
    Não li nada do autor, esse é uma boa pedida para começar.
    Adorei!!

    Bjks

    Lelê - http://topensandoemler.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  14. Oi, Rafa!

    Ainda não li nada do Modiano, mas morro de vontade! Gosto de suspenses assim, e a história parece interessante, com a amnésia do personagem principal. Parabéns pela resenha! Beijos

    litteraturamundi.blogspot.com

    ResponderExcluir
  15. Foi minha primeira resenha sobre o livro do autor.Nem o conhecia ainda. Posso te dizer que foi um prazer ler algo a respeito e espero ter a oportunidade de ler este livro dele. Gosto de ter a chance de ler algo novo e estimulante.E este parece ser o caso.
    Beijos.

    ResponderExcluir
  16. Rafaela!
    Gosto dos detalhes, principalmente em um livro policial, cheio de mistério, suspense e uma trama bem intrincada, como é o caso aqui.
    Não conheço o autor, porém fiquei curiosa em poder ler sua obra.
    “Que o coelhinho traga muito mais que ovos de chocolate! Que ele lhe traga muita paz, amor, saúde, felicidade, compreensão e carinho. Feliz Páscoa!”.
    Cheirinhos
    Rudy
    http://rudynalva-alegriadevivereamaroquebom.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  17. Vc me perdoe, mas não me interessei pela leitura, dizem que a pimeira impressão é a que fica, ate pode ser que mude e eu consiga ver o que acontece com a vida e novas descobertas de "Guy Roland" . Obrigado pela oportunidade. eu ate gosto de filmes policiais e detetives, mas achei meiuo fraquinho. ate pode ser que seja impressão, mas quem sabe......

    ResponderExcluir
  18. Eu não li nenhum livro do autor mas aprecio esse tipo de narrativa um pouco diferente, que deixa algumas questões no ar mesmo depois de finalizada a leitura, eu li os comentários acima e a maioria das pessoas disseram que o livro não chamou a atenção delas ou que o estilo não é atraente mas eu acho que gostaria de ler.

    ResponderExcluir
  19. gostei muito. quero muito ler. adorei este drama de procurar o próprio passado.

    ResponderExcluir
  20. Gosto de livros que me façam pensar. Acho que leria sim. Gostaria de desvendar os segredos do personagem e descobrir o que se esconde por traz de todo seu drama.

    ResponderExcluir

Hey you,
gostou do que leu, encontrou algum erro ou quer acrescentar algo?
Não deixe de comentar! =)
Sua opinião é muito importante para o blog.
Beijocas.

© 2012 - Todos os Direitos Reservados
Design por: Gabrielle Alves | Para uso exclusivo do blog Artesã Literária